Sindicalista cobra de Lula incentivos para o crédito

Depois de passar quase o dia todo reunido com ministros e representantes de bancos federais, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva empenhou-se em acalmar também as preocupações de sindicalistas com a crise financeira internacional. Lula encontrou-se no fim do dia com o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, para tomar pé do impacto sentido até agora nos setores de comércio e serviços, representados pela central. "O presidente já não diz mais que essa crise é apenas uma marola, mas também afirma que não é nenhum tsunami", afirmou o sindicalista. Segundo ele, a central cobrou do presidente incentivos federais ao crédito, para prevenir a retração da demanda, acompanhada do aumento nas taxas de juros e da redução dos prazos de financiamento. "Nossa preocupação é com emprego. Sem crédito, temos problemas nas duas pontas. De um lado, os trabalhadores não conseguem comprar. Do outro, as empresas aumentam as taxas e reduzem as prestações", completou Patah.

CLARISSA OLIVEIRA, Agencia Estado

20 Outubro 2008 | 22h24

Mais conteúdo sobre:
crise crédito Lula

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.