Sindicalistas apresentam reivindicações à Fiesp

Os presidentes da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Eleno José Bezerra, estão na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), onde entregarão para representantes da entidade a pauta de reivindicações da campanha salarial de emergência. Paulinho disse que dará um prazo (21 de março) para a entidade e as empresas filiadas chegarem a um acordo, caso contrário iniciará uma série de greves pelas fábricas.Os sindicalistas estão acompanhados por cerca de 300 metalúrgicos, que saíram em passeata da sede da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, em Higienópolis, até a avenida Paulista, onde está situada a Fiesp. Os manifestantes carregam faixas e se utilizam de um carro de som.Os metalúrgicos pedem 10% de aumento imediato, redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais e também a criação de um seguro especial que pagaria salários, por até 12 meses, para o trabalhador demitido. "O salário é o principal, os outros itens são só para lembrar", disse Paulinho. Os metalúrgicos tiveram em novembro (data-base da categoria) reajuste médio de 10,26%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.