Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Sindicalistas da Força entregam reivindicações à Fiesp

Dezenas de trabalhadores ligados à Força Sindical fizeram manifestação em frente ao prédio da Fiesp no fim da manhã de hoje para entregar a pauta de reivindicações da campanha salarial aos empresários. Os sindicalistas deram prazo até 20 de outubro para o encerramento das negociações e ameaçaram com paralisação do trabalho se o prazo não for cumprido a partir de 22 de outubro. No horário do almoço, o trânsito na Avenida Paulista ficou bastante complicado por conta da concentração dos trabalhadores.O diretor do Departamento Sindical da Fiesp e presidente do Sitivesp (Sindicato da Indústria de Tintas e Vernizes do Estado de São Paulo), Roberto Ferraiuolo, e o presidente do Sicetel (Sindicato Nacional da Indústria de Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos), Nildo Masini, receberam as reivindicações e vão apresentá-las aos empresários ligados à questão para discussão.Segundo a Força, 16 categorias associadas à Força, como metalúrgicos, químicos, têxteis e gráficos participaram da manifestação para iniciar a campanha salarial unificada do segundo semestre. A passeata começou por volta das 9h, com a concentração em Higienópolis, seguiu até a Fiesp e foi encerrada por volta das 12h30. Na pauta, os trabalhadores pedem 12% de aumento salarial, piso de R$ 900, fim da terceirização ilegal, participação nos lucros ou resultados nas empresas com até 30 trabalhadores e redução da jornada de trabalho.

PAULA PULITI, Agencia Estado

12 de setembro de 2007 | 18h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.