Sindicalistas do RS querem aumento de 16,7% no piso

Representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, Central Autônoma de Trabalhadores (CAT), federações e sindicatos gaúchos definiram na noite de ontem uma proposta de reajuste de 16,7% para o salário mínimo regional da iniciativa privada no Rio Grande do Sul. Se a proposta for aceita, o menor piso no Estado subiria de R$ 312 para R$ 364. A discussão do piso foi realizada na Assembléia gaúcha, durante plenária promovida pelo PSB. O secretário estadual do Trabalho, Edir Oliveira, disse que o governo está estudando o porcentual de reajuste que irá propor para o mínimo regional. "Além disso, estamos verificando se o aumento será linear ou calculado para cada uma das quatro faixas", acrescentou Oliveira. O governo informou que a primeira faixa, de R$ 312, abrange trabalhadores da agricultura e pecuária, das indústrias extrativas, de empresas de pesca, empregados domésticos, turismo e hospitalidade, construção civil, indústria de instrumentos musicais, de brinquedos e estabelecimentos hípicos. As demais faixas estão em R$ 319,20, R$ 326,48 e R$ 339,60. O deputado estadual Heitor Schuch (PSB) lembrou que o governo precisa enviar a proposta de reajuste do piso ao Legislativo até 1º de abril, 30 dias antes da data-base.

Agencia Estado,

24 Março 2004 | 07h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.