Sindicalistas não aceitarão não de Palocci sobre tabela do IR

Os sindicalistas fizeram uma advertência ao ministro da Fazenda, Antônio Palocci, que descartou hoje a correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF). Para o presidente da CUT, Luiz Marinho, a fala do ministro foi dirigida ao mercado financeiro. ?O ministro só tem uma resposta para nos dar no dia 1º: quanto será a correção da tabela esse ano?, afirmou.Palocci prometeu aos dirigentes da CUT e do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC dar uma resposta sobre a correção da tabela no próximo dia 1º de junho. ?Não entendi porque o ministro falou da tabela agora?, disse Marinho. Segundo ele, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assumiu um compromisso com os trabalhadores em corrigir a tabela.Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, José Lopez Feijoó, ?se o ministro está dizendo isso para acalmar o mercado que está nervoso, que ele saiba que os trabalhadores são muito mais nervosos do que o mercado?. Ele disse que os trabalhadores tem "a promessa do presidente" e não admitirão que não haja a correção da tabela esse ano.Feijoó informou que técnicos do Sindicato e da CUT tem reunião marcada nesta quarta-feira com representantes da Receita Federal para discutir a proposta de correção da tabela. Os sindicalistas pedem uma correção de 55,3% na tabela do IR. O índice é a soma da inflação acumulada no governo Fernando Henrique (39,5%, descontada a correção de 17,5% concedida em 2002) e a inflação do governo Lula, 11,32%. Eles querem que o governo corrija a tabela primeiro e depois comece a discutir mudanças nas alíquotas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.