Sindicalistas pedem redução da jornada de trabalho

Representantes de seis centrais sindicais de trabalhadores entregaram hoje ao ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, um abaixo assinado com cerca de 100 mil assinaturas em apoio a proposta de redução da jornada de trabalho de 44 horas semanais para 40 horas, sem redução de salários.Segundo o presidente da Central Geral dos Trabalhadores (CGT), Antônio Carlos dos Reis, o ministro disse apoiar a proposta, mas que a discussão tem que ser feita no Fórum Nacional do Trabalho, que reúne representantes de trabalhadores, empresários e governo.De acordo com o coordenador técnico do Dieese, Adenir Figueiredo, que também participou do encontro, um estudo feito pela entidade mostra que há um potencial de criação de 2,8 milhões de empregos se houver o fim das horas extras e também da redução da jornada de trabalho.De acordo com o secretário geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalvez, o Ministério do Trabalho fará um estudo sobre a situação da carga horária de trabalho em outros países, especialmente da América Latina, que servirá de base para discussão do tema no Fórum.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.