Sindicalistas protestam por renovação da frota de caminhões em SP

Cerca de 500 pessoas, segundo a Polícia Militar e a CUT-SP, participam na manhã desta quinta-feira, 02, de ato público em defesa da renovação da frota de caminhões no Brasil. O protesto começou por volta das 10h em frente à sede regional do Ministério da Fazenda, no centro da capital paulista, e deve seguir até 12h. Um documento elaborado pelas centrais sindicais e entidades do setor automotivo com propostas para renovação da frota será entregue a um representante da Fazenda.

IGOR GADELHA, Estadão Conteúdo

02 de abril de 2015 | 11h54

O ato foi convocado pela Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM) da CUT e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM) da Força Sindical. Além das duas centrais sindicais, participam trabalhadores filiados ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC paulista - considerado o maior polo produtor de caminhões do País, com as empresas Mercedes-Benz, Scania e Ford. Segundo a CUT, há ainda metalúrgicos de Curitiba e Ponta Grossa (PR), Sete Lagoas (MG) e Resende (RJ).

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, o programa de renovação da frota proposto prevê retirar de circulação caminhões com mais de 30 anos, reduzindo a idade gradativamente em dez anos, com a reciclagem de cerca de 30 mil veículos ao ano. A entidade afirma que os "caminhões antigos" representam 7% da frota atual, o correspondente a 200 mil veículos. O programa pede ainda o barateamento das linhas de crédito para compra de caminhões.

Para o sindicato, a renovação da frota deve estimular a produção nacional de caminhões, que acumula queda de 43,9% no primeiro bimestre de 2015 ante igual período do ano passado. Os metalúrgicos destacam que o projeto funcionará ainda como um mecanismo para garantir empregos nas montadoras, aquecer a economia, além de contribuir para prevenção de acidentes de trânsito e melhoria no meio ambiente, uma vez que os caminhões mais novos emitem menos poluentes.

A proposta já foi entregue o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro. Na semana passada, ele afirmou que governo está avaliando aumentar o limite para o financiamento de caminhões com taxas do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), do BNDES, mas não deu muitos detalhes. O ministro afirmou ainda que o governo está discutindo a possibilidade de lançar um novo programa de renovação da frota, mas disse não saber se será ainda para este ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.