Sindicalistas vão protestar contra venda de ações da Sabesp

Integrantes do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Estado de São Paulo (Sintaema) preparam para a próxima terça-feira, às 18h, na sede da Assembléia Legislativa, mais um protesto contra a possível aprovação do projeto de Lei 410/2003, do Executivo, que permite a venda de ações da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Enviado à Assembléia Legislativa em maio, o projeto tramita em regime de urgência. A expectativa do governo paulista, que têm maioria na Casa, é de aprová-lo ainda essa semana. Caso isso ocorra, os trabalhadores da Sabesp prometem paralisar suas atividades, por pelo menos 24 horas, em protesto.Os parlamentares que fazem oposição ao governo de Geraldo Alckmin (PSDB) classificam a proposta do Executivo como "privatização da Sabesp" e prometem utilizar todos os recursos possíveis de maneira a impedir que a votação ocorra nas sessões dessa semana.O projeto que prevê a venda de ações da Sabesp assegura que o controle acionário da empresa continuará nas mãos do Estado. "O Estado ficará com 50% mais um das ações e não 2/3, como é atualmente", garante o secretário de Energia, Recursos Hídricos e Saneamento, Mauro Arce.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.