Sindicato alerta o governo sobre demissões no Santander/Banespa

O presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, João Vaccari, pediu nesta quinta-feira ao ministro do Trabalho, Paulo Jobim, que interceda com a direção do banco Santander/Banespa para evitar as demissões que deverão ocorrer no curto prazo. De acordo com Vaccari há rumores de que o Santander/Banespa demitirá três mil funcionários, o equivalente a 20% dos trabalhadores do banco, logo após o término do acordo feito com o sindicato pela garantia do emprego. A vigência do acordo é até o próximo dia 31. De acordo com Vaccari, o ministro do Trabalho se comprometeu com a intermediação.O presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo admitiu que emprego no setor não está fácil e argumentou que o banco não pode alegar dificuldades financeiras. ?O Santander/Banespa está dando lucro?, afirmou. Vaccari também denunciou ao ministro a existência de 2.500 estagiários dentro do banco. ?A instituição carece de funcionários?, disse.O presidente do sindicato afirmou temer que as demissões sejam discriminatórias, sendo os primeiros da fila justamente o pessoal antigo, oriundo do banco estatal privatizado e que está perto de obter a aposentadoria. Pelos cálculos de Vaccari dentro de três anos cerca de quatro mil funcionários poderão obter a aposentadoria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.