Sindicato avisa que falta trigo na Rússia para vender ao Egito

A Rússia não tem atualmente muito trigo a oferecer ao Egito, maior importador mundial do cereal, disse o chefe do sindicato de grãos russo a repórteres, acrescentando que uma maior oferta estaria disponível durante a nova temporada comercial.

Reuters

17 de abril de 2013 | 12h22

O presidente do Egito, Mohamed Mursi, vai buscar petróleo, gás e silos para armazenagem de grãos em sua visita à Rússia nesta semana, em uma tentativa de reviver a cooperação que floresceu entre os países na era soviética, disseram autoridades.

"Caso a Rússia conceda fundos ao Egito, a possibilidade de começar a comprar (trigo russo) deve surgir", disse Arkady Zlochevsky, chefe do sindicato, nesta quarta-feira. "Mas a maior parte do fornecimento só deve ser possível durante a nova temporada, quando os preços recuarem."

Zlochevsky acrescentou que o sindicato de grãos da Rússia cortou sua previsão para a produção doméstica de grãos em 2013 para entre 90 a 95 milhões de toneladas, ante uma expectativa anterior de 95 milhões de toneladas por conta de uma primavera tardia em algumas regiões.

O sindicato manteve inalterado o excedente exportável da Rússia em 2013/14 em 20 milhões de toneladas, acrescentou.

(Reportagem de Polina Devitt)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSTRIGORUSSIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.