Sindicato corrige: funcionários da Ford e Volks em greve

A nota enviada anteriormente contém uma incorreção. O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, na nota distribuída, havia informado que o abono dos trabalhadores da GM foi de R$ 1.500. Em seguida, enviou uma correção informando que o abono foi de R$ 1.950. Segue a versão corrigida:

AE, Agencia Estado

23 de setembro de 2009 | 14h12

Os trabalhadores da Ford e Volkswagen de Taubaté (SP) entraram em greve hoje. Em nota, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região afirma que os funcionários recusaram a proposta defendida pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, filiado à CUT, e negociada ontem, com as empresas. Logo após a negociação, a proposta foi rejeitada em assembleia.

Embora a campanha salarial na Volkswagen e na Ford tenha terminado em 13 de setembro, as negociações foram retomadas ontem por pressão dos próprios trabalhadores. Eles se sentiram prejudicados ao tomar conhecimento do acordo conquistado pelos metalúrgicos da General Motors de São José dos Campos, bastante superior ao negociado pela CUT, de 2% de aumento real e R$ 1.500,00 de abono, diz a nota.

Os trabalhadores da GM conseguiram reajuste de 8,3%, sendo 3,7% de aumento real, e abono de R$ 1.950,00. Esse foi o maior índice de aumento real conquistado pelos metalúrgicos da GM nos últimos quatro anos. Pressionado pela base, o Sindicato de Taubaté fechou um novo acordo ontem, de 1,66% de aumento real a ser aplicado apenas em outubro de 2010 e um abono de R$ 1.300 dividido em duas parcelas. Ao ser apresentada em assembleia, a proposta foi rejeitada e os trabalhadores decidiram entrar em greve por tempo indeterminado.

Tudo o que sabemos sobre:
grevemetalúrgicosFordVolkswagen

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.