Paulo Vitor/Estadão
Paulo Vitor/Estadão

Sindicato de Funcionários do BC quer que Meirelles reveja pontos de vista sobre missão do banco

Na avaliação do Sinal, ministro deu recados de que a prioridade do BC deve ser com a política cambial e a política econômica.

Bernardo Caram, O Estado de S. Paulo

23 de maio de 2016 | 14h49

BRASÍLIA - O Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal) disse, por meio de nota divulgada nesta segunda-feira, que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, deveria rever seus pontos de vista sobre a missão da autoridade monetária. Na avaliação do sindicato, Meirelles deu recados de que a prioridade do BC deve ser com a política cambial e a política econômica. "Para o Sinal, o ministro da Fazenda deveria rever seus pontos de vista em relação à missão do Banco Central e fortalecer a autoridade monetária no sentido de servir a sociedade, não o mercado financeiro", afirma.

"O Sinal lembra o ministro que as atribuições da autoridade monetária vão além de cuidar da saúde financeira dos bancos. O BC é também responsável pela supervisão do sistema financeiro, obrigação que tem sido deixada de lado", continua. Segundo a entidade, por causa dos cortes de custeio do órgão, mais da metade do programa de fiscalização bancária foi suspensa.

De acordo com o Sinal, . "Somente por meio do trabalho de supervisão é possível detectar operações financeiras atípicas oriundas do crime organizado e da corrupção", diz.

A nota cita ainda como outro exemplo de implicação por falta de supervisão o uso de casas de câmbio por traficantes para comprar drogas na Bolívia e no Paraguai. "Segundo investigação do Ministério Público Estadual de São Paulo, o PCC, por ainda não estar familiarizado com a lavagem de dinheiro por meio de offshores, prefere operar com dinheiro vivo e usa esse método para seus negócios ilícitos". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.