Sindicato diz que Sadia poderá demitir 2,5 mil

A Força Sindical disse hoje que a transferência das linhas de produção de pratos prontos e sobremesas congeladas da fábrica da Sadia em São Paulo para a unidade de Ponta Grossa, no interior do Paraná, pode provocar a demissão de 2.500 trabalhadores. A empresa admite 350 demissões. A central sindical marcou para esta sexta-feira de manhã uma assembléia com os trabalhadores da Sadia para protestar contra a transferência. O ato acontecerá em frente à sede da empresa, na zona oeste da capital. Na quarta-feira, a Sadia, cujo presidente licenciado do Conselho é o ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, informou que a demissão 350 trabalhadores equivale a 1% do efetivo de 33.882 funcionários da companhia. Segundo a empresa, os funcionários já foram informados do desligamento, que começará em setembro. A desativação da fábrica na capital paulista se estenderá até janeiro de 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.