Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Sindicato é acusado de impedir acordo sobre montadoras

A recusa dos empregados das montadoras norte-americanas em aceitar uma redução geral dos salários, que ficariam mais próximos do que recebem os funcionários das montadoras estrangeiras, foi a principal causa do fracasso da reunião dos senadores republicanos para discutir o pacote de socorro ao setor. A afirmação foi feita por senadores que participaram da reunião.Segundo os congressistas, sindicato dos trabalhadores da indústria automotiva (United Auto Workers - UAW) disse ao representante dos republicanos nas negociações, o senador Bob Corker, que não aceita reduções de salários como parte do acordo. "Tentamos muitíssimo chegar a um ponto em que pudéssemos legislar", disse o líder da maioria, o senador Harry Reid. "Estou terrivelmente desapontado."O líder da minoria, senador Mitch McConnell, disse que os líderes sindicais se recusaram a aceitar a fixação de uma data para o corte dos custos trabalhistas. Os republicanos vinham pressionando pelo estabelecimento de uma data, já no próximo ano. As informações são da Dow Jones.

HÉLIO BARBOZA, Agencia Estado

12 de dezembro de 2008 | 03h16

Tudo o que sabemos sobre:
EUAcrisemontadorassenado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.