Sindicato e VW negociam e efeito de cartas é suspenso

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC decidiu retomar as negociações com a direção da Volkswagen do Brasil para a criação da Autovisão, empresa quer buscará recolocação para 3.933 funcionários da montadora considerados excedentes. Segundo o presidente do Sindicato, José Lopez Feijóo, a Volkswagen comunicou aos trabalhadores que aceitou suspender o efeito das cartas enviadas aos trabalhadores comunicando a transferência para a Autovisão a partir do dia 1º de setembro. A suspensão das cartas era a condição exigida pelo sindicato para iniciar as discussões sobre a implantação do projeto Autovisão. O sindicato considerou que a escolha unilateral de trabalhadores para serem transferidos para outra empresa representava quebra do acordo que garantia estabilidade no emprego para os trabalhadores dessa fábrica até novembro de 2006. Em assembléia realizada hoje à tarde, no portão da Volkswagen, em São Bernardo do Campo, cerca de 10 mil trabalhadores aprovaram a retomada das negociações com a empresa, mas decidiram continuar em estado de mobilização, caso a Volks não cumpra a promessa de suspender as cartas. Dos 3.933 funcionários excedentes, 1.923 são da fábrica do ABC e 2.010 da unidade de Taubaté, no Vale do Paraíba, onde também foi realizada assembléia hoje e aprovada a mesma proposta. "Retomaremos o processo de negociação e o que vier a ser implantado só será depois de muito debate e aprovação por parte dos trabalhadores", disse Feijóo. Ele informou ainda que ele e mais um grupo de cerca de 10 trabalhadores irão para a Alemanha no dia 25 a convite da direção da Volkswagen e dos trabalhadores alemães para conhecer o projeto Autovisão implantando naquele país em 1997.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.