Roosevelt Cassio|Reuters
Roosevelt Cassio|Reuters

Sindicato organiza passeata em São José dos Campos contra operação entre Boeing e Embraer

Trabalhadores defendem que as empresas se comprometam a garantir a manutenção dos empregos no Brasil

Letícia Fucuchima, O Estado de S.Paulo

23 Janeiro 2019 | 15h47

O sindicato dos metalúrgicos da região de São José dos Campos (SP), que representa funcionários da Embraer, organizou um ato na manhã desta quarta-feira, 23, contra o acordo fechado entre a fabricante brasileira e a Boeing.

A passeata percorreu o centro de São José dos Campos e reuniu cerca de 120 manifestantes de várias categorias, como petroleiros, professores e representantes de movimentos sociais. Durante o trajeto, lideranças sindicais falaram sobre os problemas que preveem para o Vale do Paraíba caso a operação entre Boeing e Embraer se concretize. O ato terminou em frente à prefeitura da cidade, onde os manifestantes cobraram um posicionamento do prefeito Felício Ramuth (PSDB) em defesa dos empregos.

Os metalúrgicos estão em campanha para barrar o acordo entre as fabricantes. Na visão dos trabalhadores, o negócio fere a Lei das Sociedades Anônimas (S/A) por não se tratar da criação de uma joint venture, mas sim de uma cisão seguida de venda do braço mais rentável da Embraer. Eles defendem que as empresas se comprometam a, pelo menos, garantir a manutenção dos empregos no Brasil.

Já na ótica das companhias, a parceria fortalecerá tanto a Boeing quanto a Embraer, haja vista a força de vendas da gigante norte-americana - que tenderia a alavancar as vendas dos jatos E2 - e o caráter complementar de seus portfólios de produtos. Assim, o acordo ampliaria o potencial de geração de empregos no Brasil, e não destruiria vagas, como acredita o sindicato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.