Sindicato vê indício de mudança na política do BC

O Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal) comemorou o aumento do número de funcionários de carreira do banco na diretoria da instituição. Para o Sinal, as nomeações de funcionários de carreira para diretorias estratégicas do BC, anunciadas na noite de sexta-feira passada, podem atuar em benefício da autonomia da instituição em relação aos interesses das instituições financeiras."O Sindicato vê na escolha um indício de mudança no direcionamento político do BC, que passa a buscar sua autonomia e a exercer sua missão, que vinha sendo preterida por diretores oriundos do mercado e do meio acadêmico", afirma nota do Sinal de São Paulo.Na sexta-feira, o presidente do BC, Henrique Meirelles, indicou a economista Maria Celina Berardinelli Arraes para a diretoria de Assuntos Internacionais, Alvir Alberto Hoffmann para a diretoria de Fiscalização e Anthero de Moraes Meirelles para a diretoria de Administração. Os três são funcionários de carreira do BC. Com a posse dos três indicados, cinco dos oito diretores que comporão a diretoria serão provenientes dos quadros do BC.

ADRIANA FERNANDES, Agencia Estado

29 de outubro de 2007 | 20h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.