Sindicatos da França prometem mais ações contra setor de energia

Intenção é tentar reduzir produção de energia e também afetar a distribuição de combustíveis 

Gabriel Bueno, da Agência Estado,

20 de outubro de 2010 | 11h37

A Confederação Geral do Trabalho da França (CGT) afirmou nesta quarta-feira que está "determinada" a manter a ação em nível nacional no setor de energia. A intenção da entidade que reúne sindicatos é tentar reduzir a produção de energia e também afetar a distribuição de combustíveis, sobretudo para os grandes usuários, como empresas.

Em um comunicado, a CGT afirma que, dos 12 depósitos para estoque de gasolina do país, nove estão atualmente parados e um retomou apenas 50% de suas atividades. Segundo a entidade, os trabalhadores também podem atrapalhar as importações de combustível para a França.

Os sindicatos realizam protestos nacionais contra a proposta do governo para reformar o sistema previdenciário. A administração do presidente Nicolas Sarkozy defende a reforma, que inclui o aumento da idade para aposentadoria, para conter os gastos públicos. Os trabalhadores, porém, alegam que são injustamente atingidos. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.