finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Sindicatos esperam 2 mil pessoas para ato contra leilão

Sindicalistas e ativistas de movimentos sociais contrários ao leilão da reserva de Libra, do pré- sal, estão concentrados desde o início da manhã nesta segunda-feira, 21, ao lado do bloqueio militar que impede acesso ao hotel onde, às 14h, será realizado o certame. Dois ônibus transportaram os manifestantes do Centro até a Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Segundo os sindicalistas, outros 10 ônibus chegarão até as 10h, quando está marcado o início dos protestos. A estimativa é que 2 mil pessoas participem do protesto.

ANTONIO PITA, Agencia Estado

21 de outubro de 2013 | 10h01

Com faixas, cartazes e um carro de som, os manifestantes já fazem uma caminhada pela Orla da Barra da Tijuca. Cerca de 50 pessoas participam do ato neste momento. Banhistas e moradores também se integram ao movimento.

"O coronel tentou impedir que ficássemos aqui com o carro de som, mas conseguimos negociar. Parece que estamos no ''estado de exceção'' quando os militares estavam nas ruas e mandavam em tudo", afirmou Edson Munhoz, diretor do Sindicato de Petroleiros (Sindpetro).

O forte esquema de segurança montado pelo governo inclui uma embarcação da Marinha, bloqueios da Força Nacional no quarteirão do hotel e patrulhas de camburões do exército. Helicópteros sobrevoam a região e os militares, armados com fuzis, fazem rondas nas ruas próximas ao hotel. Há barricadas até na praia e banhistas, trabalhadores e moradores reclamam dos transtornos.

"Há nove anos trabalho aqui e nunca vi isso. É uma palhaçada", afirmou a doméstica Adriana Lucena, de 36 anos. Ela e outros trabalhadores foram impedidos de passar em uma das ruas próximas ao hotel. Os moradores e funcionários têm que apresentar documentos para acessar as ruas.

Tudo o que sabemos sobre:
pré-salleilãoprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.