Sinduscon-SP: emprego na construção civil bate recorde

O número de empregados na construção civil brasileira cresceu 10,21% em 2009 em relação ao ano anterior, atingindo o recorde de 2,298 milhões, com a contratação de 213 mil trabalhadores, informaram hoje o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Sob efeito sazonal, porém, foram registradas demissões em dezembro de 2009. A construção civil dispensou 53,5 mil trabalhadores com carteira assinada no último mês do ano, com um declínio de 2,28% no nível de emprego em relação a novembro.

AE, Agencia Estado

11 de fevereiro de 2010 | 12h32

Em nota, o presidente do Sinduscon-SP, Sergio Watanabe, diz que os números reforçam a expectativa de que o Produto Interno Bruto (PIB) da construção cresça perto de 9% em 2010, com a contratação de mais 180 mil trabalhadores. No Estado de São Paulo, foram demitidos em dezembro 8,8 mil trabalhadores (queda de 1,34%). No ano, entretanto, o setor criou 58,2 mil novos postos de trabalho, mostrando um aumento de 9,82%. No fim de dezembro, 650,6 mil pessoas trabalhavam com carteira assinada na construção paulista.

Na cidade de São Paulo, 3,9 mil pessoas foram dispensadas em dezembro (queda de 1,21%). No ano, o saldo positivo atingiu 33,8 mil vagas (alta de 11,84%). O total de contratados pelo setor na capital paulista fechou o ano em 319,3 mil pessoas no fim de dezembro. Em números absolutos, a região do País que mais demitiu em dezembro foi a Sudeste, com 26,2 mil empregos a menos (queda de 2,03% em relação a novembro), seguida do Centro-Oeste, com 9 mil desligamentos (recuo de 5,23%), e do Sul, com menos 8,2 mil (baixa de 2,53%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.