Sinduscon-SP prevê queda de 7,9% na construção em 2003

O total movimentado pela construção civil no País pode cair 7,9% este ano, em relação a 2002, de acordo com estimativa do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP), que tomou por base os números da GV Consult. A revisão foi feita depois da divulgação feita pelo IBGE dos últimos números de produção física de materiais de construção. Anteriormente, o sindicato esperava que a queda chegaria somente a 4,4%.Se esta previsão se confirmar, esta será a maior queda no produto do setor desde 1990, quando o IBGE alterou a metodologia de cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Desde então, a maior queda havia ocorrido em 1992, com 6,3% de impacto. A redução deste ano será a terceira seguida no setor. No ano passado, o recuo chegou a 2,52% em relação a 2001 e 2,6% deste mesmo ano em relação a 2000. Entre 1998 e 2002, a atividade da construção acumula retração de 6,13%.Para o Sinduscon, este quadro só será revertido depois de o governo implantar uma "política de habitação consistente, que estimule o setor e faça exercer seu papel de motor do desenvolvimento do País".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.