coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Sinduscon-SP revê para baixo crescimento da construção

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) reviu para baixo sua projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) nacional da construção em 2013 para 3,0%, ante projeção anterior de 3,5% a 4,0%. Em comunicado divulgado nesta terça-feira, 28, o sindicato explicou que o corte na estimativa se deve à redução no ritmo de crescimento do emprego no setor.

CIRCE BONATELLI, Agencia Estado

28 de maio de 2013 | 11h44

O número de trabalhadores empregados na construção civil brasileira cresceu 1,11% em abril na comparação com março, com a criação de 38,2 mil postos (saldo de contratações menos demissões), segundo dados levantados pelo Sinduscon-SP em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV). O número, porém, é inferior aos 46,4 mil postos de trabalho gerados em abril do ano passado.

Nos quatro primeiros meses de 2013, o emprego cresceu 3,39%, com a contratação de 114,3 mil trabalhadores. No mesmo período de 2012, o setor havia gerado 169,7 mil novos empregos. Já no acumulado dos últimos 12 meses encerrados em abril, o emprego avançou 1,17%, com a criação de 40,3 mil vagas, ante 255,6 mil vagas nos 12 meses encerrados em abril de 2012.

Com o resultado, a construção brasileira empregava no final de abril deste ano 3,488 milhões de trabalhadores com carteira assinada. A projeção do Sinduscon-SP de alta de 3,0% para o PIB da construção em 2013 representa uma expectativa de crescimento mais lento para o setor em relação aos anos anteriores. Em 2012, o PIB da construção avançou 4,0%, e em 2011, 4,8%.

Tudo o que sabemos sobre:
construçãoSindusconSPcrescimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.