REUTERS/Kai Pfaffenbach/File Photo
REUTERS/Kai Pfaffenbach/File Photo

Sistema financeiro ameaça migrar para Frankfurt ou Paris

Grandes bancos internacionais avisam que podem transferir operações caso o Reino Unido abandone a UE

Fernando Nagakawa, correspondente, O Estado de S.Paulo

12 Junho 2016 | 05h00

Londres - O título de capital financeira da Europa poderá ser ameaçado, caso eleitores britânicos decidam pela saída da União Europeia. Grandes bancos internacionais não escondem a contrariedade com eventual Brexit e ameaçam migrar para o continente, caso o “sair” vença nas urnas. As próprias instituições financeiras têm afirmado que podem deixar Londres rumo a Frankfurt ou Paris.

O plebiscito do fim do mês é o grande assunto no setor financeiro britânico. Além do debate acalorado sobre as consequências econômicas e migratórias das urnas, a conversa de corredor nos bancos e gestoras passa pela possibilidade de outra mudança: do endereço das próprias instituições financeiras. Muita gente tem falado da chance de que algumas instituições deixem os antigos edifícios da City ou os prédios envidraçados de Canary Wharf rumo a Bankenviertel, o distrito financeiro de Frankfurt, ou La Défense, a região dos bancos em Paris.

Mas, ao contrário de muitas conversas de corredor, essa nasceu pelas palavras dos próprios chefes. No Deutsche Bank, o executivo-chefe, John Cryan, disse em abril que “seria estranho para um banco alemão negociar títulos de dívida de governos europeus e o euro em uma filial fora da União Europeia”. Ao ser questionado sobre para qual cidade o banco poderia migrar, caso fosse inviável continuar em Londres, o executivo foi direto. “Para nós, se é em qualquer lugar, é em Frankfurt”, disse ao Financial Times.

No HSBC, a história foi a mesma. O executivo-chefe Stuart Gulliver disse à emissora britânica SkyNews que a casa pode migrar parte das operações do banco de investimento de Londres para Paris. Nessa divisão, a casa tem cerca de 5 mil empregados e Gulliver disse que 20% dessa equipe – aproximadamente 1 mil pessoas – teriam de fazer a mudança para Paris.

Uma pesquisa do Centro para o Estudo de Inovação Financeira, um grupo de estudos de temas financeiros em Londres, com 408 executivos do setor mostrou que 58% temem que Londres deixe de ser vista como principal porta de entrada para investidores na Europa em caso de Brexit. 

Os entrevistados temem que sair da União Europeia “pode gerar um êxodo em massa” para outros centros financeiros da Europa. Além de Frankfurt e Paris, que lideram a lista de cidades em potencial, Dublin e Amsterdã também são citadas como possíveis destinos das instituições financeiras. 

Ansiedade. Em Frankfurt, o discurso tem tom diplomático, mas o mundo financeiro parece ansioso. “Nós não queremos que o Brexit aconteça. Isso seria terrível para a Alemanha, para a Europa e para o Reino Unido. Se isso passar, no entanto, será uma clara oportunidade para o centro financeiro de Frankfurt”, disse o diretor do grupo que representa o setor na cidade, o Frankfurt Main Finance, Hubertus Väth, em um comunicado da entidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.