Site de RI deve atender diferentes públicos

Os sites de relações com investidores (RI) das empresas devem atender diferentes públicos, do pequeno acionista ao investidor institucional, segundo participantes de seminário promovido ontem, em São Paulo, pelo Instituto Brasileiro de Relações com Investidores (Ibri).O analista do Banco BBA Tomás Awad acredita que os websites são um importante meio de democratização das informações para o mercado de capitais. Para ele, os sites se diferenciam dos outros canais de comunicação por transmitirem dados a diversos segmentos ao mesmo tempo, facilitarem a interação de analistas, investidores e companhia. "O site deve fazer parte da estratégia de integração da empresa com o ambiente externo."Segundo o vice-presidente da Associação Nacional dos Investidores do Mercado de Capitais (Animec) e gerente da Socopa Corretora, Gregorio Mancebo Rodriguez, um item que não pode faltar em um site de RI é a política de dividendos da companhia. Ele disse que a empresa tem de deixar clara a forma de remuneração dos acionistas e a periodicidade do pagamento, o que atrai investidores.Outro item imprescindível, segundo Rodriguez, é uma ferramenta para que o investidor possa calcular a rentabilidade dos papéis da empresa em um determinado período, comparando-os com outros ativos. O vice-presidente da Animec disse que os sites devem ser interativos, permitindo acesso em tempo real aos dados. Ele ressaltou ainda que os números e informações devem ser divulgados para todos os acionistas ao mesmo tempo, inibindo o vazamento a grupos privilegiados.O Banco Itaú, cujo site de RI é considerado um referencial no mercado, deve divulgar até o fim do ano a quarta edição das suas páginas. O superintendente de RI da instituição, Geraldo Soares, considera o site um importante canal de comunicação com os investidores, mas não o único.Em pesquisa apresentada no seminário, o executivo mostrou que o website é utilizado por 48% dos investidores de varejo e por 47% dos investidores institucionais. O e-mail já é preferido pelos institucionais: 89% utilizam o canal, e apenas 48% dos investidores de varejo. Esses últimos preferem as informações impressas. A pesquisa mostra que 70% dos pequenos acionistas usam o meio impresso, contra 38% dos institucionais. O estudo foi feito pela publicação especializada Investor Relations Magazine, em junho de 2002.Com um gasto entre R$ 30 mil e R$ 80 mil é possível que uma empresa implemente um site de RI, segundo Alexandre Germani, sócio da TheMediaGroup. O valor depende da quantidade de informações e ferramentas que estiverem nas páginas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.