Site do 'Estado' adota assinatura digital

Sistema de cobrança começou a funcionar nesta terça-feira com duas opções de pacote; nada muda para os atuais assinantes

O Estado de S. Paulo

11 de outubro de 2014 | 20h00

O jornal O Estado de S. Paulo implantou nesta terça-feira, 14, um sistema de cobrança em seu portal. Nada muda para quem já é assinante do Estadão em qualquer modalidade, seja impressa ou digital. Quem não é assinante e acessar o estadão.com.br terá acesso gratuito a 20 reportagens por mês.

A exemplo do que já ocorre atualmente, depois do quinto texto o usuário é convidado a preencher um cadastro, num processo simples e rápido. A partir daí, terá acesso a mais 15 reportagens, totalizando 20 textos gratuitos no mês.

Ao acessar a 21.ª reportagem, o leitor será informado de que já atingiu o máximo de conteúdos gratuitos permitidos naquele mês e convidado a fazer uma assinatura digital, com diferentes opções de cardápio e preços (veja aqui).

No primeiro mês, em qualquer modalidade, o leitor pagará um valor promocional, de R$ 1,90. Nos meses seguintes, serão duas alternativas de preço.

A primeira, de R$ 9,90, possibilita acesso ilimitado ao portal estadão.com.br, que, além de notícias, colunas, blogs e reportagens especiais, neste ano ganhou novos conteúdos e design e ficou mais organizado e fácil de usar e compartilhar nas redes sociais.

Pacote completo. Na segunda opção, que sai por R$ 29,90 mensais, o usuário pode não só acessar a qualquer momento o portal de notícias do Estadão como ter acesso ao Estadão Premium (versão para tablet da edição diária do jornal, com recursos interativos e multimídia), ao Estadão Noite (vespertino com análises exclusivas e a prévia do dia seguinte), ao Olhar Estadão (parceria com o jornal The New York Times dedicada a fotojornalismo), ao Estadão Light (versão para tablet com o resumo da edição diária) e ao Acervo, que reúne páginas digitalizadas dos 139 anos de história do jornal.

“O paywall (muro de pagamento, em tradução livre), como o formato é conhecido, segue uma tendência mundial e se consolida como uma importante ferramenta para garantir a sustentabilidade do modelo do jornalismo de qualidade no mundo digital”, explica o diretor de Mercado Leitor do Grupo Estado, Alexandre Buarque Tubenchlak.

Ele lembra que grandes jornais estrangeiros já implementaram esse modelo em seus portais, como o The New York Times - publicação que foi pioneira no sistema.

“Esse modelo se baseia na oferta de conteúdos de valor para os consumidores de informação e necessita de investimentos constantes em profissionais qualificados, tecnologia e inovação”, completa Tubenchlak.

Tudo o que sabemos sobre:
MídiaJornalismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.