Situação argentina piora e dólar dispara

Diante do aumento da instabilidade no cenário externo, os investidores, principalmente as empresas, ampliaram a compra de dólares, o que provocou uma forte alta nas cotações da moeda norte-americana. No pior momento da manhã, o dólar chegou a atingir R$ 2,1050 - alta de 1,30% em relação aos últimos negócios de ontem. Há pouco estava cotado a R$ 2,1030 - alta de 1,20%.As piores notícias vêm da Argentina. Entre os rumores estão a possibilidade de renúncia do ministro da Economia argentino, Ricardo López Murphy, diante da avaliação de que o seu pacote não teria apoio político para ser implementado. A expectativa dos analistas é que o pacote seja divulgado amanhã, após os fechamentos dos mercados. O fato é que o mercado considera que as medidas preparadas por Murphy não podem ser paliativas. Têm que resolver a crise. Caso contrário, será difícil recuperar a confiança depois de tantas medidas fracassadas e haverá um grande risco de mudança na política cambial de conversibilidade, segundo operadores. E, esse cenário seria muito prejudicial à Argentina e à atividade econômica do Brasil.O mercado de juros também incorporou a tendência negativa. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 17,220% ao ano, frente a 16,880% ao ano registrados ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) também opera de forma instável e registra leva alta de 0,33%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.