Situação atual é o que mais preocupa famílias, diz FGV

As famílias estão menos confiantes na capacidade de consumo, revela a Sondagem de Expectativas do Consumidor, divulgada nesta sexta-feira pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Em agosto, o índice caiu 1%, acumulando queda de 6,4% em quatro meses consecutivos. O que mais influenciou o resultado neste mês foi a percepção sobre a situação econômica atual. O Índice de Situação Atual caiu 1,4%, principalmente porque as famílias não estão muito confiantes na economia. O Índice de Situação Atual da Economia Local caiu 3,4% de julho para agosto, somando queda de 15,7% em quatro meses.

FERNANDA NUNES, Agencia Estado

24 de agosto de 2012 | 12h21

"Toda resposta do consumidor vem do mercado de trabalho. Antes, havia uma série de variáveis influenciando a percepção do consumidor sobre a economia. Atualmente, prevalece a preocupação com o emprego. Os consumidores estão acreditando um pouco mais no segundo semestre, embora tenham percebido que a retomada será lenta", afirmou a economista do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Viviane Seda.

A cautela do consumidor está presente também nos números sobre a intenção de compra de duráveis. O total dos consultados que afirmaram não pretender comprar duráveis caiu 0,3%. A estatística não considera a compra de veículos. "A percepção sobre a economia afeta a disposição para a compra. Houve uma antecipação do consumo, que movimentou um pouco a economia e houve ajuste de estoques, principalmente em veículos, mas o consumidor ainda está cauteloso", afirmou Viviane.

Tudo o que sabemos sobre:
consumidorconfiançaFGV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.