Situação da zona do euro melhora, mas surgem temores com Alemanha--PMIs

Uma forte queda na atividade empresarial da Alemanha ofuscou um alívio na contração vista na França em abril, mostraram nesta terça-feira pesquisas Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês), levantando preocupações sobre uma contração econômica na zona do euro.

ANDY BRUCE, Reuters

23 de abril de 2013 | 07h59

O PMI preliminar de serviços da zona do euro compilado pelo Markit, uma medida da atividade empresarial, subiu para 46,6 em abril ante 46,4 em março, abaixo da linha que separa crescimento de contração, mas igualando a expectativa de economistas.

O Markit alertou para não considerar a alta como um claro sinal de que a recessão da região está deixando sua pior fase, destacando um declínio inesperado nas empresas alemãs, que formam o pilar da economia da zona do euro.

"Anteriormente, víamos a Alemanha expandir enquanto outros países contraíam --notavelmente Espanha, Itália e França", disse o economista-chefe do Markit, Chris Williamson.

"Agora parece que essas contrações estão sendo acompanhadas de uma contração na maior economia, a Alemanha, e isso sem dúvida agirá como um peso sobre o crescimento."

Já o setor industrial da zona do euro teve outro mês complicado em abril, com o PMI do setor caindo para 46,5 ante 46,8, pior leitura neste ano.

Parece haver pouca perspectiva de uma melhora no mês que vem, com o índice de novas encomendas caindo para o menor nível desde dezembro, a 44,9 ante 45,3.

O PMI composto da zona do euro, que reúne as pesquisas de serviços e indústria, permaneceu em 46,5 em abril.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUROPMI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.