Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Temer soube de decreto de calamidade do Rio na 5ª feira

Governo tenta evitar que outros Estados sigam o mesmo caminho para tentar pressionar União por mais recursos

Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

17 Junho 2016 | 18h44

O Palácio do Planalto informou que o presidente em exercício, Michel Temer, não vai comentar o decreto de calamidade pública anunciado pelo governo do Rio e que o assunto será tratado na reunião de governadores marcada para a próxima segunda-feira. Segundo interlocutores, o receio de comentários por parte de Temer é para evitar um possível efeito cascata de que outros Estados sigam o mesmo caminho para tentar pressionar o governo por mais recursos.  

Temer foi informado nesta quinta-feira, 16, pessoalmente pelo governador em exercício do Rio de Janeiro, Francisco Dornelles (PP), e pelo prefeito Eduardo Paes, de que o governo decretaria calamidade pública "em razão da grave crise financeira no Estado do Rio de Janeiro”. O encontro aconteceu no Palácio do Jaburu e contou com a presença do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi.

Os governos federal e estadual estudam desde a semana passada uma saída legal para que a União preste socorro financeiro emergencial ao Rio de Janeiro, a fim de garantir recursos ainda pendentes para a Olimpíada, além do dinheiro para pagar salários atrasados de servidores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.