Skaf pede redução da TJLP para estimular investimento

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Paulo Skaf, disse, nesta quarta-feira, que espera a redução da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) na próxima reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), que acontece nesta quinta-feira. Skaf acredita que o corte na taxa para patamares entre 6% e 7% é essencial para estimular os investimentos no País.A TJLP determina a base do juro anual cobrado pelo BNDES na concessão de um empréstimo. Além da TJLP, que incide igualmente em todos os contratos, são cobrados também juros adicionais (spreads) que variam de zero a cerca de 5% ao ano, dependendo do projeto. Atualmente a TJLP está cotada em 9% ao ano.Mudança na equipeO empresário afirmou que não há qualquer razão para os empresários se preocuparem com o desempenho do novo ministro da Fazenda, Guido Mantega. Segundo Skaf, Mantega tem uma visão arrojada do País e não coloca em risco a estabilidade. O presidente da Fiesp voltou a defender a ampliação do CMN como forma de dar mais voz a outros setores da economia que não apenas o Ministério da Fazenda e o Banco Central.O presidente do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi), Josué Gomes da Silva, também elogiou Mantega. "Trata-se de um ótimo profissional e vai se empenhar de forma brilhante na condução da economia", afirmou o empresário, que participou de almoço com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na Fiesp. Gomes da Silva é filho do vice-presidente, José Alencar, e também preside a Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.