Skaf: "primeiro semestre está perdido, é preciso salvar o ano"

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, disse que mesmo com a manutenção da taxa de juros pelo Copom em 19,75% ao ano, o primeiro semestre de 2005 já está perdido e mostra clara tendência de retração, referindo-se a dados relativos à queda no nível de atividade industrial."Agora é preciso salvar o ano. E isto somente será possível se os juros caírem rapidamente, considerando que o mercado demora a refletir a oscilação das taxas", disse ele, em nota divulgada à imprensa. "Esperamos que o fato de o Copom ter mantido a Selic inalterada seja o marco de um ciclo descendente, interrompendo-se a escalada da taxa iniciada em setembro do ano passado", acrescentou, citando que uma nova alta nos juros "seria uma afronta aos setores produtivos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.