Skaf volta a criticar política de juros altos

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, reiterou hoje em comunicado que a política de juros altos não está sendo suficiente para segurar a inflação. Ele citou a última pesquisa Focus, em que as projeções do mercado para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2005 subiram de 5,70%, apurada em setembro do ano passado, para 6,30% em maio deste ano. Para o empresário, o mais grave dessa política é que ela mira nos juros, "mas acaba acertando no coração dos setores produtivos". O presidente da Fiesp disse que há indícios cada vez mais claros de arrefecimento do ritmo de crescimento industrial. De acordo com os números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), houve crescimento de 1,7% em março de 2005 em relação ao mesmo mês de 2004. Embora seja a 19ª taxa positiva neste tipo de comparação, foi a variação mais baixa desde dezembro de 2003; no acumulado dos últimos 12 meses até março, o aumento da produção foi de 7,6%, ante resultado anterior de 8,6%, em fevereiro. "Ou seja, o governo não está agindo para segurar a alta dos preços monitorados (energia, telefonia, educação, etc), a maior fonte de pressão inflacionária. Por outro lado, vê-se obrigado a promover o desaquecimento da economia para forçar queda nos preços livres", destaca a nota.

Agencia Estado,

10 Maio 2005 | 12h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.