SMP: entenda como vai funcionar o novo sistema

O novo serviço que deverá competir com as atuais operadoras de celular, o Serviço Móvel Pessoal (SMP), vai funcionar localmente, mas os operadores receberão licenças para prestar serviço de longa distância nacional e internacional. O serviço será prestado na faixa de freqüência de 1,8 Gigahertz (GHz). Serão licitadas, no total, nove autorizações de SMP, que estão divididas em três subfaixas, chamadas de C, D e E (seguindo a mesma nomenclatura das bandas A e B). As bandas A e B atuam numa faixa de freqüência de 800 MHz para a prestação do serviço de telefonia celular no Brasil. A banda A da telefonia celular é a faixa de atuação das operadoras que pertenciam ao Sistema Telebrás e que foram privatizadas. A banda B foi destinada para as operadoras que viriam a concorrer com essas operadoras da banda A, e o fazem desde 1997. Além das operadoras que hoje atuam nas Bandas A e B, cada região do País ganhará três novas empresas do setor. O Brasil foi dividido em três áreas de concessão - respeitando o mesmo critério que determinou os surgimentos da Telemar, Brasil Telecom e Telefônica. No total, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) irá licitar as bandas C, D e E, já que a segunda geração da telefonia móvel celular no País foi enquadrada na faixa de freqüência 1.8 GHZ

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.