Snow prevê forte crescimento econômico nos EUA, mas sem inflação

O secretário do Tesouro dos EUA, John Snow, disse que a economia dos EUA está em forte recuperação, mas sem inflação, apesar do elevado aumento nos preços de alguns produtos de consumo. "Acredito haver grande espaço para crescimento econômico sem geração de inflação", disse Snow em discurso preparado para evento no Fed de Chicago.Snow observou que as economias domésticas estão sendo pressionadas por elevação nos preços de gasolina, nos preços de alimentos e das residências. Os custos dos produtos de cuidados pessoais também são preocupantes, disse.Snow destacou, no entanto, que os preços de outros produtos de consumo caíram. Além disso, acrescentou, a confiança dos consumidores está melhorando, oferecendo impulso à economia. Snow previu aumento nas contratações em conseqüência de condições melhores na economia, mas não fez projeções.Estoques do atacado sobem acima do esperadoMais um dado sobre a economia norte-americana foi divulgado na manhã de hoje. Os estoques do atacado subiram 0,6% em março nos EUA, para o nível sazonalmente (sem efeitos temporais) ajustado de US$ 301,58 bilhões, informou o Departamento do Comércio. Os estoques registraram alta de 1,2% em fevereiro. A previsão dos economistas era de alta de 0,5% nos estoques em março.As vendas no atacado subiram 2,7% em março, para o nível sazonalmente ajustado de US$ 266,21 bilhões, após alta de 2,1% em fevereiro. A alta em março foi a maior desde o avanço de 2,9% registrado em agosto de 1994. A média estoques/vendas caiu para 1,13 mês, de 1,16 mês em fevereiro.Estes dados, assim como os demais divulgados nesta manhã (veja mais informações no link abaixo), sinalizam uma retomada da atividade econômica nos Estados Unidos. Economia aquecida, mais pessoas trabalham, e o consumo tende a aumentar. Um quadro favorável para a alta de preços, o que pode gerar inflação.Para controlar este movimento, a tendência é a alta de juros. Para os demais países, principalmente os emergentes, juros maiores nos EUA dificultam a atividade econômica. Além disso, reduzem a atratividade de investimentos no país. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.