Só com crescimento juro poderá baixar, diz Banco do Brasil

O presidente do Banco do Brasil, Cássio Casseb, disse hoje em Florianópolis que o banco, assim como a Caixa Econômica Federal, podem contribuir com o governo federal, que pretende usar os bancos oficiais para tentar baixar as taxas de juros, desde que o processo seja conduzido de uma forma consciente e responsável. "No momento, infelizmente, o governo ainda está usando uma política monetária contracionista. Quando as coisas melhorarem e se puder fazer uma política expansionista, aí o BB e a CEF poderão ajudar nesse processo", disse. Casseb afirmou que não há medida prática a ser tomada agora pela instituição para induzir a redução das taxas. "O que o BB está fazendo e sempre fez, assim como a Caixa, é ter taxas menores do que o mercado", disse. "No momento em que houver desenvolvimento, as coisas vão acontecer quase que naturalmente."Segundo ele, quando os países se estabilizam, a atividade econômica cresce e os bancos saem competindo pelo crédito e pelo cliente, então o "spread" bancário cai por competição. "Existe uma série infinita de instrumentos que precisam ser melhorados para esse momento, como a cunha fiscal, a efetivação de garantias funcionarem realmente de uma forma mais dinâmica, a inadimplência por si só começar a se ajustar. É um processo natural da competição", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.