Só Freud explica tudo aquilo, diz Lula sobre Denise Abreu

Presidente chama denúncias de ex-diretora da Anac sobre atuação do governo na venda da Varig de 'mentiras'

Leonencio Nossa, de O Estado de S. Paulo,

12 de junho de 2008 | 14h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva desqualificou nesta quinta-feira, 12, o depoimento da ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil, Denise Abreu, que acusa a Casa Civil de interferir diretamente no processo de venda da Varig. "Só Freud explica aquilo lá", disse o presidente, em entrevista, depois de uma solenidade no Palácio do Planalto sobre trabalho infantil. Lula negou que tenha havido tráfico de influência do governo durante o processo de venda da Varig. Segundo ele, a negociação foi toda acompanhada pela Justiça.   Veja também: Multimídia: entenda as denúncias e a venda da Varig  Veja os principais pontos do depoimento de Denise Abreu  Leia reportagem do Estado que revelou o caso Varig    Para o presidente, Denise Abreu mentiu. "O problema da mentira é que quando você conta uma mentira uma vez é obrigada a mentir a vida inteira para justificar aquela mentira", afirmou. "Às vezes fico pensando como é que algum jornal, que acreditou nela (Denise)vai sair desta agora, porque quando você carrega na tinta como informação que não é verdadeira, depois precisa achar um jeito de sair", afirmou Lula, referindo-se ao Estado, que publicou em primeira mão a entrevista da diretora do órgão.   A uma pergunta sobre a influência de seu amigo e compadre, o advogado Roberto Teixeira, na operação de venda da empresa, Lula voltou a afirmar que a denúncia é "abominável". "Eu já disse uma vez e vou repetir agora, que é uma denúncia abominável, porque este processo começou com o juiz e terminou com o juiz", afirmou.   O presidente disse que o juiz da Primeira Vara Empresarial do Rio de Janeiro, Luiz Roberto Ayoub, responsável pelo processo, tem dado entrevistas sistematicamente, para esclarecer o caso. "O governo não teve nenhuma participação, porque a Justiça assumiu para si", disse Lula.   Laranja   Lula disse também que gostaria de saber o que "aquela moça" fez na Comissão de Infra-Estrutura do Senado durante 8 horas e meia de depoimento. "Não sei, não assisti. Mas o que percebi é que o resultado é como se você espremesse uma laranja que não tivesse caldo", afirmou. "Na verdade ela (Denise) não tinha o que fazer. E como é que alguns senadores ficam tantas horas conversando?", questionou.   Ele afirmou que as pessoas que têm alguma denúncia contra quem quer que seja deveriam seguir o "caminho jurídico" para apresentá-las.

Tudo o que sabemos sobre:
VarigDenise AbreuLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.