Só o cliente poderá pedir data da abertura de conta em cheque

O Conselho Monetário Nacional (CMN) provavelmente terá de alterar a resolução que proibiu os bancos de imprimir nos cheques a data de abertura da conta corrente dos seus clientes. Essa determinação do CMN, aprovada no ano passado e prevista para entrar em vigor em maio, diz que a informação só poderá constar no cheque, a pedido do correntista, com a expressão "Cliente do Sistema Financeiro Nacional desde" e a data da abertura de sua primeira conta. Para o CMN, a impressão da data da abertura da conta na instituição é um entrave para o cliente trocar de banco. Atualmente, quando ele muda de instituição, fica claro no cheque que ele abriu a conta recentemente. Isso dificulta sua aceitação no comércio. Para evitar esse tipo de aborrecimento, muitas pessoas preferem não mudar de banco, mesmo que outra instituição financeira apresente vantagens. Com a resolução, o que passa a aparecer no cheque, se o cliente solicitar, é a data em que ele abriu sua primeira conta corrente, independentemente do banco.Segundo o diretor de Normas do Banco Central, Sérgio Darcy, a mudança na resolução será feita para deixar mais claro que os bancos só precisarão imprimir a data se o cliente assim requisitar. A atual redação dá margem a interpretar que todos os bancos deveriam pesquisar quando cada um de seus clientes abriu sua primeira conta no sistema financeiro. "Rever os arquivos representaria uma custo imenso. Não é isso que queremos", disse.O diretor do BC terá na próxima segunda-feira, em São Paulo, uma reunião com representantes da Federação Brasileira das Associações de Bancos (Febraban) para discutir o problema.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.