bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

''Só temos emprego para japoneses''

Dekasseguis enfrentam demissão e ficam sem perspectivas no Japão

Andrea Vialli, O Estadao de S.Paulo

21 de fevereiro de 2009 | 00h00

"Só temos empregos para japoneses." Foi essa a resposta que a brasileira Leico Haguino, no Japão há 12 anos, ouviu de uma agência de empregos no mês passado. Dispensada do trabalho em uma indústria de eletroeletrônicos em dezembro, Leico tenta desde então uma nova colocação. "Estamos sofrendo discriminação mesmo. Não existe mais perspectiva de emprego no Japão", contou a brasileira, por telefone, ao Estado. Com a economia em recessão, o Japão deixou de ser um destino atraente para os dekasseguis que buscavam trabalho no país. O agravamento da crise está causando ondas de demissão em massa, e os trabalhadores estrangeiros são os primeiros a ser dispensados. "As empresas começam cortando os trabalhadores com contratos temporários. E há muitos brasileiros nessa situação" diz Francisco Freitas, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Estrangeiros no Japão. Freitas estima que em torno de 1,2 mil famílias de brasileiros perderam o emprego no Japão desde novembro de 2008. Boa parte das chamadas empreiteiras, empresas de terceirização de mão de obra, admitem que não vão recrutar mais trabalhadores brasileiros em 2009. "A xenofobia só não é completa porque as empreiteiras ainda contratam chineses e vietnamitas, que são mão de obra barata", diz Freitas. O sindicalista explica que enquanto um brasileiro regularizado ganha US$ 12 por hora de trabalho, os asiáticos recebem US$ 3.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.