Sob críticas, Lando diz que elevar INSS é uma proposta inicial

O ministro da Previdência Social, Amir Lando, afirmou, em entrevista coletiva no final da tarde desta sexta-feira, que mantém a proposta de elevar em três pontos porcentuais a alíquota de contribuição de empregados e empregadores ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). "A proposta está posta à mesa", disse. Após as críticas que a idéia recebeu dentro e fora do governo, ele convocou a imprensa e afirmou que se tratava de uma "proposta inicial do governo", mas que, por enquanto, não há outra alternativa. Ele acrescentou que não se trata de retirar a proposta, e sim de aprimorá-la. "Não há medida extrema, não há decisão final, o governo apresentou um ponto de partida, que está longe do ponto de chegada", declarou Lando. A proposta do ministro tem o objetivo de permitir arrecadação suficiente para o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) possa pagar a dívida de R$ 12,3 bilhões referente a reajustes atrasados de aposentadorias, com origem em 1994. Lando disse que, pela proposição, o aumento da alíquota vigoraria por cinco anos. Saraivada de críticas Furlan afirma que elevar alíquota do INSS ?não é uma boa idéia? Aumento do INSS é ?absolutamente impensável?, diz Febraban Para CUT, medida que pretende elevar INSS é "equivocada? Aumento do INSS vai gerar desemprego e informalidade, prevê CNI Nunca, num período tão curto de governo, houve um aumento tão grande de impostos, diz especialista "É um péssimo caminho, é a pior solução?, diz Alckmin

Agencia Estado,

19 Março 2004 | 18h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.