Divulgação
Divulgação

Sobe para sete o número de mortos em navio-plataforma da Petrobrás

Corpo foi localizado nesta quinta-feira na sala de bombas da embarcação, um dos pontos onde ocorreu a explosão no Espírito Santo

Fiorella Gomes, especial para o 'Estado', O Estado de S. Paulo

26 Fevereiro 2015 | 15h09

VITÓRIA. Subiu para sete o número de mortos na explosão do navio-plataforma Cidade de São Mateus, ocorrida no último dia 11, na costa de Aracruz, litoral Norte do Espírito Santo. O corpo foi localizado na embarcação na manhã desta quinta-feira, 26, na sala de bombas da embarcação. O local foi um dos pontos onde ocorreu a explosão.

A informação foi dada aos parentes de funcionários que continuam desaparecidos no hotel em que eles estão hospedados há 16 dias, em Vitoria, capital do Espírito Santo.

A expectativa é que o corpo da sétima vítima chegue ao Departamento Médico Legal (DML) de Vitória ainda na noite desta quinta-feira, após desembarcar no Porto de Vitória.

Os parentes dos desaparecidos informaram à reportagem que o reconhecimento deve ser feito por meio de exames de DNA, análise das impressões digitais ou mesmo por arcária dentária, devido ao longo tempo que este corpo ficou dentro do navio, 16 dias.

Continuam desaparecidos o técnico de segurança do trabalho Tiarles Correia dos Santos, 25 anos e os mecânicos Jorge Luiz dos Reis Monteiro, 49 anos e João Victor Souza Rodrigues, 22 anos. Dois funcionários continuam internados em hospitais da Grande Vitória e estão estáveis.

Manifestações. Na manhã desta quinta, parentes de Tiarles Corrêa e Jorge Luiz realizaram uma manifestação em frente à sede da Petrobrás no Espírito Santo, em Vitoria. Cerca de dez pessoas, entre esposas, filhos e irmãos dos desaparecidos pediam agilidade na localização dos desaparecidos.

Após 45 minutos de protestos, realizados com cartazes e fechando as entradas do estacionamento da empresa, os familiares foram recebidos pelo gerente geral da unidade operacional do Espírito Santo, José Luiz Marcusso, além de representantes da BW Offshore, detentora do navio-plataforma Cidade de São Mateus.

Mais conteúdo sobre:
petrobras acidente espirito santo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.