Sobe valor dos aluguéis em São Paulo

O ritmo de reajuste do preço médio dos aluguéis residenciais deve acelerar até dezembro na capital paulista. Com isso, a tendência de alta verificada neste ano deve se acentuar. "Historicamente, os meses de novembro a janeiro são os mais aquecidos", explicou o gerente de locação da Hubert Imóveis, Moacir Oliveira. Os motivos são a revisão de contratos e a busca por novos imóveis.Segundo Oliveira, o mercado de locação residencial permanece estável até o momento. O maior indício é o reajuste acumulado de 7,16% entre janeiro e setembro, segundo pesquisa da própria Hubert. O índice está abaixo da inflação medida pelo IGP-M no mesmo período: 10,54%. "Os proprietários estão negociando para não deixar o imóvel vago; em alguns casos, inclusive, a iniciativa é deles", afirmou.Isto porque a elevada oferta de imóveis contém o ímpeto de reajustar o contrato. A entrada de novas unidades também contribui, conforme o gerente, pois os aluguéis chegam a se deprimir de 20% a 30% na região em que um novo empreendimento é entregue. "Demora de três a seis meses para os preços da área se acomodarem", avaliou.EstudantesA pesquisa da Hubert baseia-se em carteira própria e na consulta a outros empresas. Por isso, Moacir ressalta que há limitações na amostragem. No estudo, os imóveis de um dormitório lideram o reajuste acumulado de nove meses, com 10,07%, e o dos últimos 12 meses (outubro de 2001 a setembro de 2002), com 13,37%. Oliveira observa que esse tipo de imóvel é procurado por estudantes universitários, garantindo uma demanda que eleva os preços.Em seguida, vêm as unidades de dois quartos, com alta acumulada de 8,12% no ano e de 11,47% em 12 meses; três dormitórios (6,20% no ano e 8,44% em 12 meses); e quatro dormitórios (4,33% no ano e 6,49% em 12 meses).Apenas em setembro, os reajustes dos contratos ficaram em 0,84% (um dormitório), 1,40% (dois quartos), 0,93% (três quartos) e 0,74% (quatro dormitórios). O reajuste médio ficou em 0,98% para um IGP-M de 2,40%. A pesquisa da Hubert baseia-se em apartamentos vagos de edifícios recém-construídos, com as seguintes metragens médias úteis: um dormitório- 45 m² mais uma vaga na garagem; dois dormitórios 65 m² e uma vaga; três dormitórios 90 m² e duas vagas; quatro dormitórios 180 m² e três vagas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.