Sobeet mantém previsão de crescimento do PIB em 1,5%

Apesar de ter confirmado a revisão do Investimento Direto Estrangeiro no Brasil de US$ 10 bilhões para US$ 8 bilhões, a Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transnacionais e da Globalização Econômica (Sobeet) manteve sua projeção de crescimento do PIB em 1,5% para esse ano. De acordo com o presidente da entidade, Antônio Corrêa de Lacerda, o segundo semestre do ano pode viver uma fase de crescimento da atividade econômica de forma a compensar os índices nulos ou levemente negativos verificados no primeiro semestre de 2003. "Evidentemente que para atingirmos um PIB de 1,5% dependeremos dos investimentos a serem realizados no segundo semestre, mas podemos ter um afrouxamento da política monetária porque a inflação está mais baixa do que o previsto e também podemos afrouxar, ainda que de forma muito pequena, nossa política fiscal", avaliou.Ele lembrou que os dados mais recentes divulgados pelo governo indicam que apenas 1% do orçamento previsto para investimentos foi cumprido e o superávit primário no primeiro semestre do ano posicionou-se em torno de 5,5% do PIB, uma larga folga dos 4,25% estipulados no acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Perspectivas"Estimamos que o câmbio se posicionará em dezembro entre R$ 3,30 e R$ 3,40 por dólar, enquanto a Selic nominal ficará em 18,5% para dezembro. Os juros menores poderão provocar um processo de valorização do real, que deve ser controlado, dependendo exclusivamente da perícia do Banco Central (BC)", analisou.Além disso, o presidente da Sobeet avaliou que "já tarda" o momento de o BC reduzir os porcentuais de depósito compulsório ? parcela de recursos que os bancos devem recolher ao Banco Central ? e, dessa forma, incentivar os investimentos. "Nossa estimativa é de um superávit comercial de US$ 17 bilhões, com um pequeno decréscimo do superávit acumulado até o momento porque o incentivo aos investimentos nesse segundo semestre deverão expandir as importações", justificou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.