Sobeet prevê melhora da economia em 2004

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro pode registrar um desempenho no próximo ano superior a 2003, na avaliação da Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transnacionais e da Globalização Econômica (Sobeet). A estimativa é de um crescimento de 3%, contra 1,5% neste ano. Os números se baseiam na melhora de diversos indicadores econômicos.A inflação, pelo IPC-Fipe, por exemplo, deve recuar, de 11% em 2003 para 7% em 2004. Pelo IGP-M, as taxas passariam de 15% para 9%. Os índices cairiam na esteira da redução das taxas de juros. A previsão é de que a Selic chegue a 21% no final deste ano e passe para 15% em 2004.O saldo da balança comercial cresceria cerca de US$ 600 milhões, chegando a US$ 16,8 bilhões, com aumento de 9% das exportações, que chegariam a US$ 65,8 bilhões este ano. Quanto às importações, o aumento seria de 5%, atingindo US$ 49,6 bilhões. A análise da entidade, atualizada no início de abril, é de que este ano a economia brasileira ainda estará influenciada pelo cenário externo. Mesmo com o término da guerra, a falta de dinamismo da economia norte-americana continuará a afetar o Brasil, assim como a União Européia, contribuindo para uma lenta retomada das taxas de crescimento das economias centrais. Por isso, o retorno dos investimentos diretos no Brasil deve ocorrer com maior força apenas em 2004. A previsão é de que o volume de recursos caia para US$ 12 bilhões este ano e suba para US$ 15 bilhões no próximo. No ambiente doméstico, a política fiscal e monetária também impedirá que se atinja os resultados estimados anteriormente. O déficit no balanço de pagamentos brasileiro deve ser de US$ 2,3 bilhões, com possibilidade de cair para US$ 1,9 bilhão no próximo ano. A conta de serviços e rendas, portanto, registraria déficits de US$ 20,7 bilhões para US$ 21 bilhões. Na estimativa da Sobeet, a taxa de câmbio pode ainda se valorizar em meados deste ano, mas recuar no decorrer do segundo semestre. A cotação prevista para o final do ano é de R$ 3,60. E para 2004, R$ 3,70.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.