Sobretaxa para calçado chinês pode se tornar definitiva

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, informou hoje que o Comitê Executivo de Gestão (Gecex) da Camex pode tornar definitiva a aplicação de direito antidumping sobre a importação de calçados da China. Se aprovado, a sobretaxa fixada terá validade de cinco anos. "Eu imagino que faremos. Eu conheço bem este processo. Se nós considerarmos que há um risco, nenhum problema do conselho de ministros aprovar", afirmou.

RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

03 de março de 2010 | 19h49

Há seis meses, o governo cobra uma sobretaxa de US$ 12,47 por par de calçados importado da China. Hoje vários parlamentares do Rio Grande do Sul e de São Paulo visitaram os ministérios que compõem a Camex para tentar aprovar a prorrogação da sobretaxa.

O deputado e vice-presidente da frente parlamentar do setor calçadista, José Paulo Tóffano (PV-SP), disse que o direito antidumping termina no dia 8 de março. O deputado disse que a sobretaxa evitou que 30 milhões de pares de calçados chineses entrassem no País neste período. "Essa medida teve impacto imediato. As empresas calçadistas começaram a contratar no País inteiro", disse. Segundo Tóffano, 15 mil empregos foram gerados no setor nos últimos seis meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.