Socorro a setor aéreo adiado para semana que vem

As medidas de socorro ao setor aéreo, antes anunciadas para esta semana, só devem ser conhecidas na semana que vem. O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sérgio Amaral, informou, nesta quarta-feira, que os pontos estão praticamente concluídos e apenas um item do pacote ainda está sendo avaliado juridicamente.As medidas vão desonerar de tributos as empresas e simplificar procedimentos, explicou o ministro. "No mundo inteiro, o setor aéreo está em crise. Vamos anunciar ações para dar competitividade ao setor e, por outro lado, o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) ajudará aquelas empresas que necessitarem de reestruturação", disse Amaral.As medidas, acredita o ministro, vão melhorar as condições de operação das empresas. "Estamos acelerando a adoção dessas medidas, que seriam tomadas ao longo do tempo pelo fórum de competitividade." O ministro confirmou que uma das propostas reduz a alíquota do imposto de importação.O governo ainda aguarda as informações solicitadas às companhias aéreas para anunciar o pacote. Quanto à atuação do BNDES, Amaral disse que o ritmo será dado pelas empresas. "O banco seguirá o ritmo que for dado pelas companhias, na medida em que apresentarem seu plano de reestruturação." Até o momento, apenas a Varig apresentou proposta, candidatando-se a receber recursos da instituição.

Agencia Estado,

24 de julho de 2002 | 17h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.