carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Soja atinge maior preço em 28 meses

As cotações da soja atingiram os maiores níveis em 28 meses na Bolsa de Chicago, sustentadas pela demanda forte e pela oferta mundial apertada. O contrato março fechou com alta de 1,51%, aos US$ 13,60 por bushel. O mercado tem sido sustentado pelas preocupações com a safra da Argentina. Ontem, a Bolsa de Cereais de Buenos Aires reduziu a estimativa de plantio no país para 18,5 milhões de hectares, 200 mil ha menos que o previsto anteriormente, por causa da forte estiagem que atinge principalmente as áreas ao sul. Por outro lado, as exportações dos Estados Unidos continuam aceleradas. O Departamento de Agricultura do país informou em seu relatório semanal que 827,8 mil toneladas foram vendidas no período, um volume quase sete vezes superior que o da semana anterior. Outro fator que sustentou os preços da soja foram os comentários do ministro de Comércio da China de que o país vai expandir os canais de importação de commodities agrícolas em 2011 para reduzir a pressão sobre a inflação doméstica.

Análise: Ana Conceição, O Estado de S.Paulo

24 de dezembro de 2010 | 00h00

Na Bolsa de Nova York, as cotações do açúcar também tiveram forte alta por causa da escassez mundial da commodity. O contrato março subiu 2,57%, para 33,98 centavos de dólar por libra-peso. Analistas acreditam que as cotações devem subir ainda mais no curto prazo e já preveem um retorno aos preços de 1980, acima de 34 centavos de dólar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.