Soja sobe após compra da China

Os preços da soja fecharam com alta, após registrarem queda durante quase todo o pregão na Bolsa de Chicago. Uma compra de 132 mil toneladas da oleaginosa realizada pela China ajudou o mercado a mudar de direção no final do dia. O contrato novembro, o mais negociado, subiu 0,44%, para US$ 13,15 por bushel. A compra chinesa foi inesperada já que o país tem comprado primordialmente soja sul-americana, como é comum nesta época do ano. A operação, segundo analistas, confirmou rumores de que o país estaria adquirindo grão dos EUA e mostrou que a recente queda das cotações tornou a soja norte-americana competitiva em relação ao grão da América do Sul.

Ana Conceição, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2011 | 00h00

Ainda em Chicago, os preços do milho e do trigo caíram por causa das boas condições climáticas, que beneficiam o desenvolvimento das lavouras, no primeiro caso, e ajudam a acelerar a colheita de inverno, no segundo. O contrato dezembro do milho cedeu 0,84%, a US$ 6,2675 por bushel e o setembro do trigo recuou 1,56%, a US$ 6,5075.

Em Nova York, os preços do açúcar caíram 0,35%. Segundo analistas, o mercado cedeu em antecipação aos dados de processamento na região Centro-Sul do Brasil, que devem ser divulgados hoje pela União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica). A expectativa é que o tempo seco das últimas semanas tenha permitido avanço mais intenso da colheita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.