Soja sobe na CBOT por mercado físico firme e demanda externa

Os futuros da soja negociados na bolsa de Chicago (CBOT) fecharam em alta nesta sexta-feira, apoiando-se nos firmes mercados físicos e nas expectativas de continuidade da demanda por exportação dos EUA, disseram traders.

Reuters

17 de agosto de 2012 | 18h11

A soja teve ganhos de 20,50 centavos de dólar, no seu contrato novembro, terminando o dia a 16,4575 dólares por bushel.

O trigo também encerrou a sessão firme, subindo pela terceira sessão seguida nesta sexta-feira, apoiado por temores de que estoques apertados na Rússia forcem o país a limitar as suas exportações, disseram traders.

O contrato setembro da commodity ganhou 12,50 centavos de dólar e fechou o dia a 8,7475 dólares por bushel. Para a semana, o spot caiu 1,2 por cento, sua quarta semana seguida de perdas, seguindo cinco semanas de ganhos --a mais longa desde novembro de 2011.

O ministro da Agricultura russo descartou nesta sexta-feira uma proibição das exportações de grãos, após a seca nos cinturões produtores dos Estados Unidos e do Mar Negro.

Os futuros do milho encerraram de inalterados a firmes, após recentes altas recordes.

O mercado de milho ganhou sustentação de vendas hesitantes em meio a diminuição dos estoques devido a uma produção reduzida, causada pela pior seca nos Estados Unidos nos últimos 50 anos.

O contrato dezembro fechou a sessão com ganhos de 1,50 centavos, cotado a 8,08 dólares.

(Reportagem de Mark Weinraub, Sam Nelson e Julie Ingwersen)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSFECHACBOT*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.