Solidadariedade tem limite, diz Alencar sobre Itaipu

Vice-presidente lembra que recursos para construção da hidrelétrica vieram do governo brasileiro

Eduardo Kattah, de O Estado de S. Paulo,

24 de abril de 2008 | 14h14

Ao comentar a reivindicação do presidente eleito do Paraguai, Fernando Lugo, que questiona as condições atuais do Tratado de Itaipu, o vice-presidente da República, José Alencar, disse nesta quinta-feira, 24, que o Brasil tem sido "generoso" com os vizinhos da América do Sul, mas esse "espírito de solidariedade" tem "limite". Veja também:Itaipu, um gigante polêmico   Alencar afirmou que os recursos para a construção da hidrelétrica binacional foram aportados exclusivamente pelo governo brasileiro. E sugeriu que não concorda com um aumento tarifário proposto pelo presidente eleito do Paraguai. "Eles consomem 5%, então 95% da parte deles é vendido ao Brasil. A que preço? A preço de mercado. Então isso não pode ser assim", disse, salientando a "generosidade" do governo brasileiro com os vizinhos sul-americanos.  "O Brasil não está fazendo isso subservientemente. Está fazendo todo esse apoio ao Paraguai, à Bolívia, a todos esses países aqui da América do Sul tendo em vista as condições do Brasil em relação às condições deles. Há um espírito de solidariedade. Agora, isso, obviamente, tem um limite e isso vai ser posto por ocasião dessas negociações", disse. O vice-presidente participou pela manhã da inauguração, pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), de um novo terminal do metrô de Belo Horizonte.

Tudo o que sabemos sobre:
ItaipuJosé Alencar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.