Solução 'puramente europeia' será usada caso outros países precisem de ajuda, diz Merkel

Plano de ajuda à Grécia, por meio da União Europeia e do FMI, é abordagem temporária 

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

26 de março de 2010 | 11h20

O plano para oferecer assistência financeira à Grécia por meio da União Europeia e do FMI é uma abordagem temporária de ajuda e deve ser substituída no médio a longo prazo por uma solução puramente europeia, caso outros países apresentem dificuldades com dívida, disse a chanceler alemã, Angela Merkel.

 

Durante pronunciamento ao final do encontro de dois dias dos líderes da União Europeia, Merkel disse que o acordo estabelecido entre os líderes ontem evitará a desestabilização do euro e é um importante sinal de solidariedade para a Grécia.

 

Os líderes da zona do euro ontem concordaram com um plano de assistência financeira conjunta para a Grécia, no qual os países da União Europeia administrariam qualquer pacote de ajuda e participariam com o maior volume dos recursos necessários, enquanto o FMI atuaria com um papel de suporte. Merkel defendeu durante dias uma solução envolvendo o FMI, acabando por obter o apoio de críticos à ideia como o presidente da França, Nicolas Sarkozi, e o presidente do grupo de ministros das finanças da zona do euro, o Eurogrupo, Jean-Claude Juncker. Ficou acertado também que a linha só seria concedida à Grécia como último recurso. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
MerkelUnião EuropeiaFMI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.